Caminho de volta (OBRA EM PROGRESSO)

23/junho/2017 – Voltei a ler. Daqui a pouco volto a escrever.


8/dezembro/2017

Nada como uma mudança para estimular a criatividade e consequentemente a escrita.
Havia muito tempo eu não escrevia.
E há muito não escrevo com regularidade.

Cometi o deslize de contar minhas últimas postagens aqui (não sei por que mantenho outro blog. Quatro posts nos últimos Vinte e Seis meses.
Este seria um quinto post, virou uma segunda parte do último post
Que até então era composto simplesmente pelas duas primeiras frases deste post.

Quer dizer, tá tudo uma bagunça.

Mudança é assim mesmo. Agora tenho novos vizinhos, logo, novas histórias para contar!

Como o caso do vizinho do lado que tem TOC.

Primeiro dia no novo apartamento. Eu estava na cozinha preparando café quando ouvi a porta do apartamento ao lado se abrir. Então vieram sons de chaves, fechadura e então chaves e passos se distanciando.

Voltei a atenção para o café até que ouvi passos se aproximando rápidos, chaves, fechadura e porta abrindo. Uns segundos depois os primeiros sons se repetem:  as chaves trancam a fechadura e se distanciam juntos com os passos, desta vez todos mais rápidos.

Imaginei este vizinho sendo um aluno que ia para a escola e esqueceu de levar a impressão do trabalho que valia muitos importantes pontos neste fim de ano letivo.

Apurei os ouvidos e não ouvi o som da porta do elevador. Ouvi sim novamente o som dos passos voltando, mais rápido do que saíram há pouco, a chave que bate e a porta que abre. Ele esqueceu mais uma coisa? Desta vez deve ter sido o celular. Logo depois ele sai, fecha e tranca a porta, guarda as chaves e sai, já correndo.

Pensei “Deve ser uma aluna mulher que, além do trabalho, esqueceu também o brinco”. Mais uma vez não ouvi barulho de elevador mas sim os passos apressados trazendo a chave para abrir a porta. Dessa vez não resisti e fui até a porta. Pelo olho mágico vi que a porta do apartamento vizinho estava aberta e a luz de dentro iluminava o corredor.

 [CONTINUA – OBRA EM PROGRESSO]

Anúncios

The Walking Dead s07

Nas últimas horas deste sábado resolvi entrar no clima #zumbificando do Twitter e baixei os seis últimos episódios da sexta temporada de The Walking Dead, me preparando para a estreia de #TWDSeason7 amanhã. Gostaria de compartilhar o que considero importante lembrar para a próxima temporada:

  1. Rick and Michonne continuam juntos. Até que a morte os separe?
  2. Carl (coitado!) se tornando xerife e passando disso a zumbi.  
  3. Glenn and Michonne presos. Não lembro. Glenn morreu, isso lembro, como lembro e nunca esquecerei!
  4. Daryl novo refem de luxo. Continuo curioso sobre o futuro da relação dele com Dwight. Como será a vingança (ou aproximação entre ele e seu antigo conhecido? 
  5. As duas faces de Carol: cookies, contagem de corpos, papel de Santa quando presa com Maggie grávida… Simplesmente não lembrava ela ter sido baleada! Duas vezes!!  Agora ela se tornou um membro importantíssimo do grupo, exercendo cada vez mais seu papel de liderança! 
  6. Morgan impede Rick atirar fugitivo vestindo “armadura”. Este foi um daqueles que salvou _________ e _________ no final do season finale? Em Kingdom, Morgan finalmente aprendeu que é preciso matar, sim.  
  7. Eugene aprendendo a matar Eugene… Que personagem estranho… Fico curioso para conhecer seu final! 
  8. o relacionamento entre Tara e Doctor … Ops, a Doctor Denise?  recebeu uma flechada na cabeça. Agora Tara é uma das que deseja muito matar o arqueiro Dwight.  
  9. Black Hair guy Se foi, ajudando Tara a conhecer Oceanside, elemento importante na luta Rick X Negan.  
  10. Abraham, what to do in life, man? Nevermind.  
  11. Os caras da armadura conversaram com Morgan e Carol??? Não acredito! Será possível que não assisti último episódio todo?!  The Kingdom, mais um fator crucial na guerra contra Saviors. Há dois novos grupos:
    Scavengers, liderados pela moça e o grupo daquele homem que viu Rick pela luneta. Ele era um Scavenger? Rick depois aparece preso no contâiner…
     
  12. Forest Convoy – Abraham, Carl, Rick, Maggie (sick), Aaron (recruiter), Black Woman. Eugene arrested with the car. Then Glenn, Daryl, Michonne and Rosita.  .  
  13. Ficaram em Alexandria: Gabriel (à espera da redenção) com Baby Judith e alguns Alexandrinos .  
  14. Hilltop people?  Maggie substitui Gregory no comando da cidade e por fim mostra, com uma arma, que ela tem woman balls e merece aquele trono.  

Comecei a assistir s07e01 antes mesmo de terminar de ver s06e16

#TWDSeason6 #zumbicando

Começando #TWDSeason7 

Just figured out Glenn died. WTF? Abraham too?? 

Muito triste a cena em que carregaram os corpos. Ainda tô recuperando o fôlego depois do episódio! 

Por falar em fôlego pós episódio,
como li no Reddit, “ainda não tivemos tempo de mourn (chorar, prantear) Glenn and Abraham’s deaths”

O tempo não para; lá vem s08!

1 ano de História

Maio, 2016

Um ano atrás, maio 2015, eu estava desempregado. Depois de mais de 3 meses sem trabalhar, confesso ter ficado muito feliz em ser contratado (no feriado virtual do dia 13) por uma escola particular para ser inspetor de alunos, embora para isso eu precisasse acordar cedo, sair de casa com céu ainda escuro, trabalhar muito e ganhar pouco.

Trabalhei ali por pouco menos de  3 meses e um belo dia cansei. Em breve seria chamado para tomar posse no cargo da UFF e aí posso dizer que as coisas começaram a melhorar!

Hoje (setembro)  estou há quase um ano na UFF e a experiência de trabalhar lá é bem diferente de trabalhar na escola particular.

“Sem o seu trabalho o homem não tem honra” ( Um Homem Também Chora (Guerreiro Menino) – Gonzaguinha)

“Apesar de tudo que ele me fez, ainda penso nele”

Atualizado em setembro 2016

Peguei este título emprestado de uma carta que li no site semchorobr.com. Gostei muito desta frase:

Apesar de tudo que ele me fez, ainda penso nele, afinal de contas, “quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?”

Não gostei muito do texto na primeira vez em que li. Hoje, algumas separações depois, consigo me conectar um pouco mais com a autora.

A primeira leitura deste texto gerou em mim idéias para escrever uma crônica descrevendo melhor aquelas ações que tanto ofenderam a autora da carta.

Mas não pensei que estas ofensas que eu descreveria seriam, mais que frutos da minha imaginação, reais conteúdos da minha memória.

Relacionamentos contemporâneos terminam de forma diferente daquela que aprendemos nos manuais de relacionamentos escritos nos anos 80. Aprendemos que um ingrediente essencial para um “bom fim de namoro” é não falar com o ex, pelo menos enquanto ainda houver sentimento.

Isso era possível antes do Facebook/WhatsApp. Ainda que hoje estes aplicativos permitam que aquele ser amado e odiado seja bloqueado, a carne pode ser fraca, e desbloquear é tentadoramente fácil.

Ainda me pergunto porque desbloquear. Talvez exatamente por ser tão fácil. Estamos acostumados a ter a pessoa ali tão perto, sempre comentamos com ela alguns de nossos pensamentos enquanto havia relacionamento…

Na maioria das relacionamentos que terminam, um dos lados quer manter contato, nem que seja para as considerações finais, que podem ser do tipo “você sempre esquecia de tomar o remédio, vê se lembra!” ou “cada vez que lembro de você sinto vontade de esfregar sua cara na parede, FDP!!!”

Antes estas mensagens não existiriam. Raramente uma pessoa telefonaria para a casa do ex para lembrá-lo de tomar o remédio. Para xingar já não seria tão raro, mas ainda assim o WhatsApp tornou a comunicação (qualquer comunicação) mais fácil, instantânea e gratuita. Perigosamente tentadora. Perigoso porque quem fala “lembra do remédio” está sujeito a ouvir “enfia o remédio!”. Foi isso que aconteceu comigo.

Quem termina um namoro tem bastante problemas para lidar. Quem recebe o término tem os mesmos problemas somados a um eventual inconformismo.

Idéias tenho tido muitas.

semchorobr.com/2016/07/02/desabafos-e-conselhos-apesar-de-tudo-que-ele-me-fez-ainda-penso-nele/

Ouvindo Legião

Ano de 2001, 16 anos de idade, sozinho. Uma colega de escola me emprestou este disco mais famoso da Legião, que desde aquela época eu adorava.

Gostei de

Se fiquei esperando meu amor passar
Já me basta que então, eu não sabia amar
E me via perdido e vivendo em erro
Sem querer me machucar de novo por culpa do amor
Mas você e eu podemos namorar.
E era simples: ficamos fortes.
Quando se aprende a amar
O mundo passa a ser seu

Engraçado… Dia desses eu lembrei de quando eu estava no segundo grau e ouvia histórias de desilusões amorosas. Amigos sumiam porque começavam a namorar e depois voltavam quando o namoro terminava. Diziam “nunca mais quero me apaixonar” e eu respondia: “não é por aí, o amor é uma coisa boa” e tal.

Hoje me vejo caído no mesmo erro que eu sempre condenei. Curioso… Humano.


Só por hoje eu não quero mais chorar
Só por hoje eu espero conseguir
Aceitar o que passou o que virá
Só por hoje vou me lembrar que sou feliz
(…)Só por hoje eu não vou me destruir
Posso até ficar triste se eu quiser
É só por hoje, ao menos isso eu aprendi